Um desabafo

Inflecte a voz, dando autênticas guinadas em curvas e contra-curvas de "sinceridade". Engelha aquelas caretas condoídas. Diz 'corta-se-me o coração' com a mesma convicção com que diria 'eu é um bitoque e um sumo'. Alarga-se naquelas inacreditáveis parolices da importância do Magalhães na formação (!) das crianças. Como é típico, chama 'ignorantes' aos cépticos. Cita enviesadamente Manuela Ferreira Leite para a deixar ficar mal. Recita como um cábula aquelas tretas da 'esquerda moderna', que não é a 'esquerda arcaica' e do 'país moderno que evoluiu' e que 'não pode parar'. Representando, mal, um profeta da modernidade perplexo com tanta incompreensão. Quase bate com a mão no peito confessando-nos os seus 'valores profundos'. Na verdade, não disse nada.
Como pode alguém dar um voto (um 'votozinho', diria a outra) a este homem? Como?...
publicado por Carlos Botelho às 21:57 | partilhar