Que setinha para o jornalista das setinhas? (2)

À semelhança de um imperador romano, os jornalistas adquiriram o mau hábito de proferir juízos com o polegar. Em mais uma das figuras tristes que este(s) jornalista(s) teima(m) em fazer, o jornal "Público" traz nas irritante caixinha das setas um elogio à Ministra da Saúde (!), com a respectiva setinha para cima, e condena à seta que aponta o sul o Presidente francês Sarkozy. Lemos a justificação de tal julgamento negativo e ficamos a perceber que foram as greves recentemente realizadas em França que justificam a negativa. Nunca passou pela cabecinha oca do dito jornalista que talvez fossem os sindicatos irresponsáveis a merecer a reprovação. Devia ser óbvio que a melhor maneira de resistir à crise não é com certeza ter o sector público em greve (sim, porque foi o sector público estatal e as empresas públicas de transporte que aderiram à greve). Mas não. É mais simpático para toda a gente se for Sarkozy o alvo da crítica. Deus nos livre de criticar sindicatos. Ou outros governantes desastrosos mas muito mais queridos da nossa fé, como, por exemplo, Zapatero, aqui ao lado, ou, no passado, o triste Prodi, em comparação com o qual Berlusconi é o sumo da competência e da visão política. Era o que mais faltava críticas dessas. E agora que Bush desapareceu de cena, é preciso rapidamente encontrar alguém que expie as nossas agruras.
publicado por Miguel Morgado às 11:57 | comentar | partilhar