A Europa na linha da frente

A Secretária de Estado Hillary Clinton assumiu esta noite em entrevista à Sky News que uma intervenção na Líbia terá de possuir o aval das Nações Unidas e que não serão os Estados Unidos a liderar a instauração de uma zona de exclusão aérea*. Que foi uma outra forma de dizer: tratem vocês do Khadafi, que nós estamos ocupados.

* como tem sido bem referido por especialistas militares americanos, isto implicará ataques às bases militares aéreas e ao sistema de radares líbio. Não é uma simples operação de patrulhamento do espaço aéreo e de abate alguns Migs soviéticos.
publicado por Nuno Gouveia às 23:39 | comentar | partilhar