Palpites: Paulo Portas

Remexendo em posts antigos, encontrei este já escrito nos idos de Maio de 2007. Portas acabava de regressar à liderança do CDS. Foi, digamos assim, um bom palpite. Ora vejam lá.
.
.
O tempo da segunda vida política de Paulo Portas ainda não começou a contar. Por isso, não vale a pena passar-lhe uma certidão de óbito. Se Portas resistir durante, digamos, seis meses à ausência de credibilidade que todos agora lhe apontam, aí poderemos ligar o cronómetro. Só nesse momento é que Portas poderá arriscar politicamente. Por enquanto cabe-lhe sobreviver, até que uns se esqueçam dos seus juízos passados, e outros se desiludam com as suas preferências em Sócrates ou no PSD. Se tiver a sorte de estar presente quando houver uma (outra) crise no PSD ou um escândalo do governo Sócrates, muitos caminhos se abrirão. E nessa altura, quem sabe? Talvez o País tenha desistido de ser viável.
publicado por Miguel Morgado às 18:25 | comentar | partilhar