Lindo, lindo, lindo

Por favor, leiam, com a unção apropriada, esta peça literária.
Comovente, não é? Talvez estejam a esganiçar vitória demasiado cedo - seja como for, trata-se de um escrito, mais que hagiográfico, de apelo às armas. Não custa imaginar as cotas definindo os focinhos valentes, os bacinetes sobraçados e os gládios ao longo do saio de fio pronto para talhar os inimigos do Chefe. É uma cruzada "socrática", ó incréus. No fundo, como se lê no extremoso documento, trata-se de um combate pelos "valores da grandeza da condição humana" - isto é, um combate pela "coragem" e "competência" de José Sócrates, esse mártir do "interesse geral", como ele gosta de proclamar, de cerviz exposta, esbracejando no cepo da nossa ingratidão.

[Graças ao serviço público do Cinco Dias.]
publicado por Carlos Botelho às 13:05 | comentar | partilhar