Menos demagogia, mais realidade

São cada vez mais ridículos os apelos de "resistência à ajuda externa" dos líderes socialistas. Na realidade já estamos a beneficiar de ajuda externa há dois anos. Repito o que já escrevi. Sem o BCE há muito que o mercado se teria fechado para a dívida portuguesa e as taxas disparado. Mesmo assim a liquidez tem-se reduzido e as taxas subido de forma consistente. E o governo desperdiçou estes dois anos.

Contra a ajuda externa afirma Costa Pina que "Recorrer a ajuda externa implica ficar fora dos mercados pelo menos cinco anos, piorando as condições financeiras para o sector privado, empresas e famílias". Eu gostava que o Sec. de Estado das Finanças explicasse onde pensa, alternativamente, financiar-se durante os próximos cinco anos. E a que taxas. E se está a par das dificuldades de financiamento que já vigoram para empresas e famílias. E se pensa continuar a fazer operações de curto prazo para resolver uma permanente ruptura de tesouraria.

Tenta o ministro Silva Pereira assustar-nos com as medidas draconianas que serão impostas pelo FEEF/FMI. Ele que olhe para os sucessivos PEC's que pouco ou nenhum impacto tiveram nas contas públicas e explique que medidas pensa o governo implementar para controlar a despesa pública.

Sinceramente, é difícil perceber esta teimosia. Uma explicação será o ego ferido dos governantes incapazes de admitir que falharam. Percebo também que lhes seja difícil largar as sinecuras a que se habituaram durante os anos dedicados a destruir o país. Muitos deles nada fizeram na vida para além de intriga política. Nada têm senão o estado. (o que explica o seu enorme amor por este). Temem pelo futuro. Mas nada disto é desculpa para brincarem com as vidas alheias. Eles que aceitem a realidade e nos deixem em paz. Já basta a bonita obra que deixaram e que vai demorar muitos anos a pagar.
publicado por Miguel Noronha às 09:45 | partilhar