Pé-coxinho

Mostrando uma elevada sensibilidade, e revelando candidamente o mais fundo - o DNA, como agora se diz - do seu pensamento político, Almeida Santos declarou que os portugueses devem, por causa da crise, aprender a sofrer como o governo sofre. Eu, pessoalmente, não me importava nada de sofrer com esta crise como o Dr. Almeida Santos sofre. Desgraçadamente, é-me impossível. De PEC em PEC - já vamos no terceiro, e outros virão aí, não haja dúvida -, os portugueses, contrariamente ao que verosimilmente acontece ao Dr. Almeida Santos, começam a desenvolver a técnica de andar a pé-coxinho, para gastarem menos as solas dos sapatos. Uma ligeira diferença entre o grosso da população e o presidente do Partido Socialista.
Outra diferença é que o imagino, ao contrário de muita gente, satisfeitíssimo com o novo CV do primeiro-ministro, o CV apresentado em Nova Iorque: licenciado em Coimbra. Em Coimbra, meu Deus! Ainda não Professor Doutor, mas quase um lente. E digo "ainda não" porque, apesar de tudo, há esperanças que se podem guardar nestes tristes tempos. Aquando do próximo PEC, imagino-no-o já doutorado por Cambridge (a melhor universidade do mundo, este ano). Até já me pus a conjecturar o assunto da tese. Depois digo-vos se acertei.
publicado por Paulo Tunhas às 12:13 | comentar | partilhar