De Grauwe no Público

Sempre admirei a obra de Paul De Grauwe. Julgo até, se a memória não me engana, que foi lendo o seu manual sobre Uniões Monetárias que tive o primeiro contacto sério com os temas da teoria das zonas monetárias óptimas, dos seus críticos e das uniões monetárias em geral. Mas esta entrevista é absurda. Presumo que o "europeísmo" confesso de De Grauwe lhe tenha turvado o pensamento. Tudo nessa entrevista se confunde, nada se esclarece e muito de essencial fica por dizer. Não chego a perceber se o "racismo" que ele sugere também se reflecte nos julgamentos sobre a Grécia, o que nos levaria a concluir que, no fundo, nada de anómalo se passa nas terras da velha Hélade. Como diria o poeta-treinador, tudo "perfeitamente normal".
publicado por Miguel Morgado às 13:31 | partilhar