Uma voz


A voz comovida que se ouve aqui é a voz de um homem sério. Não há naquela comoção nada de encenado, não há um teleponto com a indicação "garganta apertada agora" - Sócrates poderia muito bem fazê-lo, com a qualidade a que os nossos pobres comentadores chamam "profissionalismo", mas que, na verdade, não é mais do que falta de vergonha. Esta gravação devia ser ouvida muitas vezes nas próxima semanas. Aquele homem que se comoveu tem tido acesso (ainda que incompleto, cirurgicamente incompleto, como saberemos daqui por pouco tempo) à floresta emaranhada das "contas do Estado" e ele vê e sabe muito bem a situação em que o nosso primeiro-ministro deixou o país. O homem emociona-se com isso que sabe. Esta gravação, por mostrar o choque genuíno de um homem conhecedor perante a "obra" de Sócrates, vale muitas "frases assassinas", muitos videos em família e muitos cenários portáteis. Aquela voz autêntica de Catroga é um dos melhores contributos para o conhecimento público de José Sócrates.
publicado por Carlos Botelho às 22:09 | partilhar