Ainda o Kosovo

Por regra não tenho grandes diferenças de opinião em relação a Luís Amado. O actual ministro dos Negócios Estrangeiros tem uma visão da política externa portuguesa que subscrevo na maioria das situações. Isto dito, a tese de que Portugal pode ter um «papel facilitador» entre a Sérvia e o Kosovo -- a não ser que Amado esteja na posse de informação que me escapa -- não tem muito sentido (Público, 30.3.2008: 9). A não ser que estejamos a falar de um papel de «facilitador» numa abordagem minimalista e formalista: Portugal seria facilitador de um encontro entre as partes e nada mais do que isso. O «papel facilitador [de resultados]» é outra conversa.
publicado por Joana Alarcão às 15:35 | comentar | partilhar