Cartas na mesa

Está aqui disponível a versão integral da carta rogatória enviada pela Serious Fraud Office às Autoridades Judiciárias portuguesas. Destaco o seguinte:

«A Polícia Judiciária portuguesa declarou à Serious Fraud Office e à Polícia da Cidade de Londres que o facto de a aprovação ter sido alguma vez concedida, dada a existência da zona de protecção ambiental, levanta uma forte suspeita de corrupção no procedimento de aprovação.» (...)

«No dia 17 de Janeiro de 2002, os representantes da Smith & Pedro e da Freeport reuniram com entidades portuguesas, incluindo o então Ministro do Ambiente, José Sócrates, para discutir uma terceira apresentação para apreciação em matéria de Avaliação de Impacto Ambiental. Os participantes nesta reunião foram Sean Collidge, Gary Russell, Charles Smith, Manuel Pedro, José Sócrates e outros funcionários municipais e públicos portugueses

Perante isto, para eu conseguir afastar as angústias negras e conspirativas que constantemente me invadem o espírito, gostaria que a senhora directora do Departamento Central de Investigação e Acção Penal me explicasse a razão de não existirem arguidos ou suspeitos na investigação em curso. E porque é que um dos nomes acima referidos não está sequer a ser investigado? Obrigado.

publicado por Paulo Marcelo às 18:38 | comentar | partilhar