A regra do jogo

Joaquim Vieira apresenta-se hoje aos leitores do jornal na sua qualidade de provedor do leitor. Nada tenho contra Joaquim Vieira -- muito pelo contrário, parece-me uma excelente escolha -- mas confesso que tenho uma visão cada vez mais pessimista e mais cínica sobre a utilidade dos provedores. Isto dito, independentemente da sua eficácia, Joaquim Vieira é uma garantia de que continuará a existir um espaço sério de reflexão.
publicado por Joana Alarcão às 14:15 | comentar | partilhar