Há mais de cem anos que o melhor CV é o cartão de militante

“Portugal é para todos, mas o Estado é para os republicanos”. Este dito, que durante a I República tantas vezes foi repetido entre militantes do PRP, relembra-nos como a nossa forma de compreender a política evoluiu tão pouco. O significado que os militantes do PRP lhe davam era diferente (exclusão dos adversários políticos dos cargos públicos), mas a ideia de apropriação dos cargos públicos por quem governa mantém-se: cem anos depois, basta substituir no dito ‘os republicanos’ pelo nome do partido no poder (seja PS ou PSD) para obter um fiel retrato do Portugal dos últimos 35 anos. Um sinal grave e preocupante que, por perdurar, corre o sério risco de se tornar num traço de personalidade; e, portanto, irresolúvel.
publicado por Alexandre Homem Cristo às 09:07 | partilhar