O dilema Grego

Para um país devedor, a principal penalização por incumprir é a perda de acesso a crédito adicional. Para a Grécia ser salva, é-lhe imposto que diminua o seu déficit orçamental para menos de 3% do PIB.

Quando o déficit orçamental se aproxima de 0, um Estado deixa de necessitar de crédito adicional, embora necessite de refinanciar o crédito já existente.

É aqui que se coloca um grande dilema à Grécia, e a qualquer outro grande devedor. Se um país nesta situação é obrigado a eliminar o seu déficit orçamental, então sofre a principal penalização que um incumpridor sofreria, mas não obtém um corte no seu serviço de dívida ou no montante que deve.

O que é que isto significa? Que racionalmente, para um país a quem é imposto reduzir brutalmente o seu ritmo de endividamento adicional, pode fazer mais sentido simplesmente incumprir.
publicado por Joana Alarcão às 02:35 | partilhar