David Cameron mais perto da vitória

Os últimos dois dias não podiam ter corrido melhor a David Cameron. O que significa que Gordon Brown tem mesmo os dias contados à frente do governo britânico. Mesmo equacionando um hipotético governo Lib-Lab, pode-se afirmar que Brown não terá condições para permanecer em Downing Street depois das eleições. Mas vamos por partes.

Gordon Brown envolveu-se numa trapalhada que ganhou proporções gigantescas nesta campanha eleitoral, e que foi amplamente explorada pelos media britânicos. Hoje todos os jornais deram eco dessa gafe que ficou conhecida como Bigotgate. Diga-se que foi um momento de descuido do Primeiro-ministro, falando quando não sabia que estava a ser gravado. Mas em política estes momentos normalmente são acompanhados por uma punição severa nos media. E com potenciais consequências no eleitorado. O episódio até terá sido agravado com a resposta de Brown. Depois de ter sido apanhado num momento de hipocrisia, fez ainda pior, e passados apenas 40 minutos assumiu-se como um “pecador penitente” e foi pedir desculpa à senhora. A um acto de hipocrisia respondeu com outro. Não lhe fica bem.

Este lamentável incidente, que poderia acontecer a muitos outros políticos, aumenta a imagem negativa que Gordon Brown já detém na sociedade britânica. Se estivesse em alta, provavelmente esta gafe não teria graves consequências. No entanto, surge num contexto muito difícil para o Labour, que tem vindo a realizar uma campanha desastrada, estando neste momento em terceiro lugar em quase todas as sondagens. Apenas não se pode descartar o Labour do próximo governo, pois o sistema eleitoral pode permitir que, apesar de ficar em terceiro, obtenha o maior número de deputados, podendo com isso realizar uma coligação com os Lib-Dems. Mas estes já fizeram saber que numa hipotética coligação nem pensar incluir Gordon Brown nela. Não sei quem ganhará mais com este episódio, se os Liberais ou os Conservadores. Mas o debate desta noite terá ajudado mais estes últimos.

O debate correu muito bem a David Cameron. As sondagens conhecidas dão a vitória a Cameron, seguido de Nick Clegg e o do lanterna vermelha nos três debates, Gordon Brown. Num debate onde a economia e a imigração foram temas quentes, o líder dos conservadores foi considerado o mais convincente pelo eleitorado que assistiu ao debate. As posições mais restritivas dos Tories perante os imigrantes ilegais, juntamente com as posições contra o Euro e as críticas aos 13 anos do Labour, levaram-no à vitória.

Resta saber se nesta última semana de campanha David Cameron conseguirá subir para perto dos 40 por cento que necessita para vencer com maioria. As sondagens antes desta noite davam-lhe entre 33 e 36 por cento, e se assistirmos a uma “surge” nos próximos dias, poderá sonhar em governar com maioria nos próximos cinco anos. Se, pelo contrário, permanecer à frente mas longe da maioria, Cameron poderá começar a equacionar um meio de obter uma coligação com os Lib-Dems.

PS: Aconselho a visita ao Election Seat Calculator da BBC

publicado por Nuno Gouveia às 01:01 | comentar | partilhar