JCE sobre a Europa e a América

Gostei de ler o artigo de João Carlos Espada, na American Interest Online, acerca das eleições presidenciais americanas. Contudo, discordo da ideia avançada acerca do desaparecimento do anti-americanismo na Europa. Muito pelo contrário, a vitória de Obama é a expressão do anti-americanismo europeu e do anti-americanismo europeu na América. Por outras palavras, Obama significa a vitória da europeização da América. A verdade é que os europeus e os americanos, que tanto gostam de Obama, não gostam da América qua América. No mesmo sentido, leio o artigo de João Carlos Espada no Expresso. Achei interessante a ideia de que a esquerda e direita americanas estão mais próximas uma da outra do que estão das suas homólogas europeias e vice-versa. Mas não deixo de pensar que se trata de uma ideia verdadeira há 40 ou 50 anos mas com pouca actualidade nos dias que correm. E também aqui se trata do resultado do processo de europeização da América. A esquerda americana está hoje muito próxima da esquerda europeia. Os intelectuais de esquerda americanos são cada vez mais parecidos com os intelectuais de esquerda europeus. O mesmo não se passa à direita. Pelo contrário, embora de um modo menos evidente do que o movimento que acontece à esquerda, os intelectuais de direita europeus é que são cada vez mais parecidos com os intelectuais de direita americanos. O debate actual entre a esquerda e a direita é cada vez mais o debate entre a Europa e a América - respectivamente, claro.
publicado por Nuno Lobo às 17:35 | comentar | partilhar