Surrealidades burocráticas

De vez em quando acontecem coisas engraçadas, que parecem saídas do "Brasil" dos Monty Python.

A semana passada a minha mulher foi renovar o seu passaporte. Deparou-se então com uma dificuldade que a atrasou: A sua assinatura não coincidia com a sua assinatura, portanto o registo civil não a queria aceitar, não podendo concluir o processo. Foram necessárias dezenas de tentativas para produzir uma assinatura aceitável.

A surrealidade está em que o registo civil tinha a pessoa presente à sua frente a assinar - por definição qualquer assinatura seria uma assinatura daquela pessoa.
publicado por Joana Alarcão às 14:16 | comentar | partilhar