Rangel, o ultra



Paulo Rangel foi hoje à RTP dizer que não é candidato à liderança social-democrata.

Tenho pena. A entrevista a Judite de Sousa mostra que seria uma excelente hipótese.

Mas Rangel marcou pontos: relançou Marcelo Rebelo de Sousa para o ringue e arrasou Passos Coelho, a sua "inconsistência programática" (há um ano "hiperliberal", agora "bloco central") e a sua ânsia de chefiar o PSD a todo o custo ("num ciclo eleitoral terrível" para o partido, "a única coisa que fez foi promover a sua candidatura").

Está visto: Rangel é um perigoso ultra.

E dos que ganham eleições.
publicado por Pedro Picoito às 22:51 | comentar | partilhar