A linguagem da força, what else?

O que aqui escrevi em Junho de 2007, num contexto diverso, explica agora a decisão de ratificar o Tratado de Lisboa pela via parlamentar. José Sócrates só conhece uma linguagem: a da força. Eis o perverso pragmatismo estratégico, uma vez mais, em acção.
publicado por Joana Alarcão às 19:20 | partilhar