Ajuda quem?

Por uma vez, Menezes acerta: os novos ministros de Sócrates são figuras de segunda linha. Pinto Ribeiro, em especial, tem notória falta de currículo político e até técnico. Só o recomendará para o lugar o facto de ter sido administrador da Fundação Berardo.
Na verdade, Sócrates não podia ter escolhido um peso pesado do PS sem correr alguns riscos - a evitar em vésperas de ida a votos. 2008 e 2009 serão anos de muitas inaugurações à conta do Ministério da Cultura. Se Sócrates entregasse a pasta a alguém como Carrilho, Alegre ou João Soares, poderia estar a alimentar um temível adversário interno no caso de um mau resultado nas próximas legislativas. Optou por um ajudante de corta-fitas (sem ofensa para os nossos vizinhos ).
O nome de Pinto Ribeiro parece também uma tentativa de acalmar Berardo, que provou ser o maior troublemaker do país nos últimos meses. Ou muito me engano, ou ainda deve haver qualquer coisa por negociar na OPA sobre o CCB vulgarmente conhecida por Museu Berardo.
A nomeação de Pinto Ribeiro para a Ajuda será o preço a pagar pelo impossível silêncio do Comendador?
publicado por Pedro Picoito às 01:24 | partilhar