Mesmo, mesmo

o que o Egipto precisa. Ou, pelo menos, as egípcias.
publicado por Maria João Marques às 23:42 | partilhar