Ainda o IFSC

A renovação que está a decorrer no IFSC é a institucionalização de uma plataforma de participação e produção de pensamento que há muito era necessária no PSD, quer pela essência dos conteúdos quer pela forma como, pelo menos em parte, eles são produzidos e disponibilizados: " A nossa sede será o site do Instituto". O renovado IFSC não é propriedade de um militante nem tem como propósito ser um veículo de suporte de carreira de ninguém, é antes uma mudança estrutural na filosofia de trabalho do partido e do instituto que perdurará mais além da permanência dos actuais militantes que por ele temporariamente zelam na actual administração e nos vários grupos de trabalho. Por não estar vinculado ao destino ou vontade eleitoral de um qualquer militante em particular é mais inclusivo, por isso pode pensar em prazos e moldes distintos, criando e legando uma ferramenta de trabalho que poderá ser utilizada e melhorada por intérpretes distintos. Por último, sei bem que no país da crítica normalmente não cai bem o elogio, mas o reconhecimento do mérito neste processo é importante, e ele vai direitinho para as actuais direcções do PSD e do IFSC, personificadas na Manuela Ferreira Leite e no Alexandre Relvas. Escrevi em tempos que os melhores políticos são aqueles que criam riqueza à sua volta e maximizam o "output", e não aqueles que tudo secam e tudo controlam para maximizar a aparência de brilho na performance pessoal (ex: Sócrates), curiosamente a que menos importa, ao contrário dos resultados colectivos. O renovado IFSC é prova disso. Mais resultados virão.
publicado por Manuel Pinheiro às 01:57 | comentar | partilhar