Outubro em Setembro

Parece que o blog tem merecido a visita de alguns militantes de extrema-esquerda activistas dos «direitos humanos». É bom. Espero que voltem, ainda que, de preferência, com mais ordem e menos insulto. Isto aqui não é nenhum campo de transgénicos, nem nós somos nenhuma multinacional.

E já agora gostava de saber quantos desses vão à festa do Avante? E quanto desses se vão distanciar das comemoração dos 90 anos da Revolução de Outubro?

A comemoração da Revolução de Outubro, nos nossos dias e à porta da nossa casa, é algo de verdadeiramente inaceitável. E espanta-me que não haja uma onda de contestação nacional, a começar por aqueles – mais ou menos intelectuais - que dizem ter sido vítimas da mentira para justificar o seu engano durante décadas.

Pois bem, hoje já não há mentira. Sabemos todos que Lenine, primeiro, e Estaline, depois, foram directamente responsáveis pela perseguição, deportação e morte de centenas de milhares de pessoas. Um Estado autoritário que apagou muitos corações e aprisionou a liberdade da multidão.

Aceitaríamos, sem contestar, que jovens inflamados festejassem o dia de 30 de Janeiro de 1933, por ter sido o da ascensão de Hitler ao poder, mesmo que se distanciassem da sua prática e apenas quisessem adoptar a sua ideologia?

Que o Partido Comunista continue agarrado a uma ideologia que produziu tantos mortos e provocou tanto atraso, é coisa que custa a aceitar, mas é lá com eles.

Agora que o Partido Comunista continue a festejar a prática revolucionária, aquela que começou em Outubro e não mais parou, com as vítimas que a todos nos envergonham porque mancham a Humanidade, é escandaloso.

O mínimo que seria de esperar era que artistas convidados, conferencistas, militantes e participantes dissessem: assim não vou. Partido Comunista, já chega! Não manchem mais as vossas mãos e não poluam mais o nosso ambiente.
E por falar em ambiente, será que é desta que o Bloco de Esquerda se vai atirar a essa multi-nacional que é o comunismo internacional?

publicado por Filipe Anacoreta Correia às 17:40 | partilhar