O Terceiro Túnel da Agressão (da série "Lições da Coreia")

Os sul coreanos nem queriam acreditar quando Park, norte coreano, ferido e capturado na DMZ (Demilitarized Zone), lhes falou da existência de outro túnel a apenas 44 quilómetros de Seul. Estávamos em 1978 e este era o terceiro túnel que o Sul descobria em apenas 4 anos.
Tal como o túnel 2, tinha dois metros por dois metros, estava a cerca de 70 metros debaixo do chão (granito maciço, imaginem a dinamite e os mortos...) e em apenas uma hora poderia passar pelos seus 1,7 quilómetros uma divisão inteira (30.000 homens). A diferença para os primeiros dois túneis é que este estava próximo demais de Seul.
Este Domingo estive lá em baixo, no "Terceiro Túnel de Agressão", como lhe chama o Sul, e fiquei a saber que foi identificado um quarto túnel em 1990, suspeitando-se existirem mais 10(!). O Norte negou sempre tudo, claro. Começou por acusar o Sul de ser o verdadeiro autor desta loucura e após apresentação de provas irrefutáveis (na construção do túnel o dinamite explodia para o lado sul), admitiu anos depois que sim, que o terceiro túnel era obra sua, tratando-se no entanto de uma mina de carvão (chegando ao ponto de pintarem as paredes de preto).
Perante esta minha singela descrição, o leitor do Cachimbo imaginará que outros "projectos revolucionários" iremos conhecer quando o lado Norte da Coreia colapsar (por fome, frio, doença ou uma mistura dos três).
publicado por Francisco Van Zeller às 21:30 | partilhar