A estratégia do CDS-PP

O CDS nos últimos tempos tem direccionado uma boa parte da sua artilharia para o PSD. Paulo Portas estabeleceu para esta campanha uma estratégia de desgaste do PSD, tentando capitalizar os desiludidos do centro-direita. Percebo que a tentação de "conquistar" votos no centro-direita leve Portas a direccionar a sua política para aqui. Ninguém é dono dos votos e faz parte da luta política este tipo de picardias. Mas a inaudita agressividade que tem usado no seu discurso, poderá ser contraproducente. E até porque se Portas já disse, após muitas dúvidas e não-respostas, que não irá para o governo com o PS, a sua única possibilidade de intergrar um próximo governo será mesmo com o PSD (aliás, parece-me que este dilema se coloca aos dois partidos). Por isso convinha moderar o discurso, para depois do dia 5 de Junho as coisas serem mais fáceis. Porque Portugal precisará de um governo forte de centro-direita. 

 

Percebo bem quando falam da arrogância de quem se julga dono dos votos. Mas, e metendo aqui um pouco de analogia futebolística, também é verdade que se o Vitória de Guimarães, clube que muito respeito, disser no inicio do campeonato que vai ser campeão, poucos acreditarão que isso irá mesmo acontecer. O que não quer dizer que tal não possa suceder. E o mesmo se aplicou a Francisco Louçã, quando inebriado nas últimas eleições pelas sondagens, anunciou que estava pronto para governar. Quando Paulo Portas diz que está pronto para fazer parte do governo, todos acreditamos nisso. Já foi ministro, tem um longo currículo político e são lhe reconhecidas qualidades para tal. Mas quando afirma que é candidato a Primeiro-ministro, perde alguma credibilidade. Não porque isso seja impossível, mas porque olhamos para as sondagens, e agora até o CDS já fala em sondagens, e verificamos que em nenhuma o CDS ultrapassa os 13%. Poderá subir mais? Descer um pouco? Certamente que ambas as possibilidades são bem reais. Mas dizer que pode vencer as eleições é algo, pelo menos no momento, que apenas estará no campo do wishful thinking dos líderes centristas.

publicado por Nuno Gouveia às 12:55 | comentar | partilhar