O BES e a CGD

As notícias que hoje dão conta das dificuldades de financiamento do BES e de uma eventual entrada do estado no capital ajudam a explicar a veemente oposição de Ricardo Salgado à privatização (ainda que parcial) da CGD. É reconfortante saber que, em caso de necessidade, poderá contar com o dinheiro dos contribuintes para financiar o seu banco. E por outro lado um banco público age mais por motivações políticas que económicas. Neste cenário e tendo em conta o estatuto do BES é mais provável que seja um parceiro que um concorrente directo. O que também ajuda. Pelo meio delapida-se o dinheiro dos contribuintes mas isso é um pormenor insignificante. E é tudo a bem da nação.

tags: ,
publicado por Miguel Noronha às 10:59 | partilhar