Uns e outros

Tenho lido aqui e ali que a adesão dos jovens portugueses aos movimentos de massas marxistas das décadas de 1960 e 1970 foi determinada pelo regime de Salazar e Caetano, como se não houvesse outra forma de resistência possível! Contudo, havia. As vidas e obras de autores como Eric Voegelin, Raymond Aron e Eugène Ionesco -- ora perseguidos, ora ostracizados, tanto à direita como à esquerda -- testemunham com invulgar transparência que havia no século XX um caminho de liberdade e sabedoria a percorrer por quem quisesse mesmo resistir aos movimentos ideológicos de massas.
publicado por Nuno Lobo às 20:05 | partilhar