Está explicado

O ministro Teixeira dos Santos queria silenciar a UTAO até às eleições, um gesto que era em si mesmo uma confissão de culpa. Está agora explicado porque o queria fazer, mas felizmente não conseguiu.

 

A UTAO diz “que os números em torno da redução do défice são menos positivos do que parecem e que a dívida dos serviços integrados do Estado até ‘mais do que duplicou’.

 

O parlamento existe, entre outras coisas, para fiscalizar o governo. A UTAO existe para ajudar o parlamento a fiscalizar o governo e seria o cúmulo do absurdo que um governo, ainda por cima minoritário, pudesse ter o poder de impedir a UTAO de realizar o seu trabalho. 

publicado por Pedro Braz Teixeira às 11:01 | comentar | partilhar