O estado da Educação (19)

 

A prioridade no investimento na Educação, para os Governos de Sócrates, nunca se concentrou no enfrentar das carências do sistema educativo, mas antes em comprar computadores (Magalhães) e levantar paredes (Parque Escolar).

 

Neste último caso, o desejo de deixar obra resultou numa enorme dívida, que já chegou aos 2 mil milhões de euros, mas cujo valor final ainda desconhecemos (aguarda-se há largos meses a auditoria do Tribunal de Contas à Parque Escolar). Entretanto, as escolas renovadas passaram (ou passarão) para a propriedade da empresa Parque Escolar, 103 escolas já estão a pagar rendas à Parque Escolar (1,65€ por m2, ou seja 50 milhões de euros por ano), e os próprios edifícios do Ministério da Educação na Av. 24 de Julho, em Lisboa, passaram a ser propriedade da Parque Escolar, pagando o ME uma renda à empresa cujo valor não foi divulgado (ver aqui).

publicado por Alexandre Homem Cristo às 08:00 | comentar | partilhar