Reestruturação à vista

Numa carta enviada ao BCE e aos parceiros da zona euros, o ministro das finança alemão constata o óbvio. Contrariamente ao programa é impossível que a Grécia regresse aos mercados já em 2012. Como tal e para evitar que a Grécia falhe as suas obrigações com o credores (o famoso "default") propõe que os actuais detentores de dívida grega sejam obrigados a aceitar uma extensão do prazo de reembolso por 7 anos (ie na prática a reestruturação da dívida - o "haircut"). Para além de dar mais tempo ao governo grego para implementar as reformas - e para que estas comecem a produzir resultados (*) -  permitirá uma redistribuição dos encargos do plano de ajuda (o "bailout") assumindo os privados parte dos custos (**).

 

 

(*) Parece que os socialistas portugueses esperavam que o defunto PEC IV tivesse um impacto significativo em apenas 15 dias.

(**) Ao contrário de José Sócrates que sempre defendeu que deviam ser os contribuintes a pagar a totalidade da conta

 

Nota: A notícia no Público.

publicado por Miguel Noronha às 10:52 | partilhar