A solução final

 

Começa a ganhar peso a corrente de opinião que defende que devemos abandonar voluntariamente o euro e regressar às "desvalorizações competitivas" para reduzirmos de forma substancial (e rapidamente) os problemas dos endividamentos público e externo e ganharmos competitividade nas exportações. O que (normalmente) não explicam é que esta seria a melhor forma de garantir que nenhuma das reformas essenciais seria feita, perpetuando muitas das razões que nos trouxeram até aqui. Por outro lado, iríamos impor um empobrecimento substancial e generalizado que iria afectar tanto os que se endividaram de forma inconsciente como aqueles que geriram as suas finanças de forma regrada. Por último, querem mesmo devolver aos políticos o comando da fotocopiadora? Desejam mesmo o regresso da inflação?

publicado por Miguel Noronha às 10:14 | partilhar