E você ainda acredita no Pai Natal?

 

Num artigo de opinião no Diário Económico, Pedro Carvalho lista vários dos usos indevidos a que o poder político tem submetido a Caixa Geral de Depósitos ao longo dos últimos anos (teria sido interessante quantificar o custo para os contribuintes através de aumentos de capital). Ainda assim termina esperançoso que seja possível mantê-la como banco público e  "esvaziar a Caixa de todo o tipo de instrumentalização e lóbis e transforma-la num autêntico banco de fomento e com os recursos canalizados para as empresas e sectores que mais podem contribuir para as exportações e para o crescimento económico". Santa ingenuidade. Eu recomendava-lhe a leitura da primeira parte deste artigo para ele perder a ilusão que exista alguma possibilidade de o poder político usar a CGD de forma benigna e desinteressada.

tags:
publicado por Miguel Noronha às 10:11 | partilhar