Hoje económica, amanhã "low-cost"...

Num novo golpe de asa - parece que Pedro Passos Coelho arranja pelo menos um por dia - o primeiro-ministro não só decidiu viajar para Bruxelas em "económica", como tudo fez, ou alguém por ele, e competentemente, para que a "notícia", uma espécie de anúncio da chegada ao poder de um novo tipo de homens e de mulheres despojados e despojáveis, fosse rápida e mansamente disseminada pelos media.

Muito poderia dizer sobre esta forma populista de "governação" que, ainda por cima, parece pretender atingir pessoal e politicamente o eurodeputado Paulo Rangel. Mas limito-me a registar que não só não gosto como sou capaz de garantir que esta "estratégia" política acabará por ter muitos mais custos do que benefícios.

publicado por Fernando Martins às 00:15 | comentar | partilhar