Não é preciso pegar em armas

A propósito da recente descida da notação da dívida portuguesa. começo por dizer que o que espanta é não ter ocorrido há mais tempo. Afinal, as razões apontadas pela Moody's (a péssima execução do OE2011 e a possível reestruturação da dívida grega) há muito que se indiciavam. No entanto, é sabido que as agências de notação são tendencialmente conservadoras e preferem trabalhar com factos consumados. Desse ponto de vista João Duque e Vítor Gaspar terão alguma razão. Mas cabe-nos provar que, contrariamente ao passado, as medidas são eficazes e estamos realmente empenhados na contenção do défice e na redução da dívida.

tags: ,
publicado por Miguel Noronha às 08:41editado por Paulo Marcelo às 09:15 | partilhar