As terríveis agências de notações e os coitados dos reguladores

Continuando o assunto deste post.

 

Agora que estamos a meio de mais uma sessão de ódio contra as agências de notação financeira esteartigo do WSJ vem dizer algumas verdades inconvenientes. 

 

1. O mercado do rating não é totalmente desregulado. As agências são licenciadas pela UE;

2. O predomínio das "big three" (Moody's, S&P e Fitch) foi reforçado devida à preferência dos reguladores. Se pretendem acabar com este oligopólio podiam deixar o mercado funcionar concorrencialmente. Pois. Mas acho que não é bem essa a intenção dos reguladores;

3. Depois de terem culpado o laxismo das agências questão do "sub-prime" (o que é verdade embora) os reguladores pretendem agora que as agências sejam mais laxistas na classificação da Grécia (e restantes países periféricos). Parece que gostam de ser deixar enganar

4. A tentativa de condicionar o trabalho das agências ou de criar uma risível "agência europeia" não funcionará, com grande probabilidade. Se o mercado achar que as notações não são fiáveis poderá virar-se cada vez mais para os Credit Default Swaps. Não era bem isto que pretendiam, pois não?

 

tags: ,
publicado por Miguel Noronha às 12:52 | partilhar