A teimosia de Sócrates foi altamente lesiva para o país

Até um keynesiano puro e duro (e "pai" do pesadelo orçamental chamado "scut's") percebeu que era absolutamente necessário que o governo tivesse apostado na redução da dívida no seguimento da crise subprime: "É claro que o ministro das Finanças percebeu, não tenho a menor dúvida, mas temos que ver que a teimosia do primeiro-ministro foi altamente lesiva para o país", afirma João Cravinho, em declarações à Renascença"

 

LEITURA COMPLEMENTAR: O terramoto "Sócrates"

publicado por Miguel Noronha às 10:12 | partilhar