Ir mais além

No Dinheiro Vivo, Pedro Pita Barros apresenta boas razões para o governo português ultrapassar os objectivos acordados com a "troika".

 

«[O] “ir mais além” neste momento corresponde em aplicar mais rapidamente algumas das medidas previstas no Memorando de Entendimento, e em aplicar mais profundamente nalguns casos.

Há uma vantagem estratégica neste “ir mais além”. Como se viu recentemente, têm surgido frequentemente más notícias para as contas públicas. Não é improvável que num momento futuro seja preciso contar com um capital de negociação, construído desta forma.

A margem de segurança que Vitor Gaspar disse pretender construir terá também que estar presente no cumprimento do Memorando de Entendimento. Independentemente da convicção que parece existir no caminho traçado, “ir mais além” ajuda nessa construção de uma margem de negociação, para o caso de ainda surgirem mais surpresas “desagradáveis”. Num contexto em que a Grécia não tem essa margem, como se viu recentemente, não é de desprezar este aspecto.»

publicado por Miguel Noronha às 12:21 | partilhar