Condicionamentos ideológicos

Os destaques são meus:

 

"A deliberada quebra de empatia, na verdade antipatia, com o estado e o sector público, que vai para além das necessidades de corte nas despesas, mas tem um claro conteúdo ideológico, levou o Primeiro-ministro e o Ministro das Finanças a não só não terem uma palavra para as centenas de milhares de funcionários públicos cujos rendimentos são baixos e tão baixos como o sector privado, como para os colocarem como alvo ao apontarem-nos como privilegiados com emprego garantido. Ora se há coisa que os funcionários sabem demasiado bem, ouvindo os mesmos governantes que hoje lhe apontam esse privilégio, é que têm o emprego quase tão precário como no sector privado."

 

No Abrupto...

 

A resposta da "ausência de alternativa" é uma não-resposta (também por ser uma armadilha falaciosa), é o recurso desesperado revelador, precisamente, daquilo que pretende esconjurar: o condicionamento ideológico da perspectiva e da actuação.

publicado por Carlos Botelho às 00:12 | partilhar