"Puramente posicional"

"(...)

Estamos num tempo de não-pensamento, mas de obediência e ordem (...). Como o debate escasseia e é puramente posicional - quem não é por nós é contra nós, ou se é da situação ou se é da oposição, ou se é do Sócrates ou do Passos Coelho -, tudo é simples, tudo é a preto e branco e que ninguém pie. E depois há toda uma violência verbal incontida que jorra logo por todo o lado, quando aparece qualquer dissenso, qualquer objecção e dúvida. (...) O não-pensamento acompanha muitas vezes a raiva, vem nos livros para quem os costuma ler, esse hábito demasiado subversivo em tempos de miséria intelectual."

 

José Pacheco Pereira, no Público de hoje.

publicado por Carlos Botelho às 23:16 | partilhar