Parafraseando

«(...) E então sentimos que apesar dessas perdas não estamos mais ou menos sós, que o nosso estar no mundo é provisório apenas na sua aparência e que o mundo que vamos construindo requer constante renovação, estando sempre, de um ou de outro modo, sempre em perfeito equilíbrio, mesmo que não o alcancemos em cada momento - e que por isso (por definição) nunca estamos sós. E então relembramos que a sua significação não é nem mais nem menos que a que lhe quisermos e conseguirmos dar todos os dias, um dia de cada vez. A aceitação dessa capacidade e dessa responsabilidade é o primeiro passo para encararmos de frente o maior desafio de cada passagem que por cá fazemos.»

 

Adaptado daqui.

publicado por Tiago Mendes às 14:33 | comentar | partilhar