A Europa não chega

 

As sanções financeiras ao Irão, por parte da Europa, parecem ter surtido efeito, já o impacto do embargo às importações de petróleo iraniano pode vir a ser nulo, ou mesmo negativo.

 

A Europa hoje, no seu conjunto, representa apenas 20% das exportações iranianas (os outros grandes são a China, o Japão, e a Coreia do Sul). O que a Europa se arrisca a conseguir, com este embargo, é que o Irão desvie estes volumes para os outros compradores (e concorrentes), e se necessário, lhes venda a desconto face ao mercado. No final, o Irão arrecada a mesma receita, enquanto a Europa vai ter que ir comprar estes volumes a um preço mais alto.

 

Neste cenário, de crise económica, as sanções energéticas ao Irão devem ser acordadas num quadro de concertação mundial, caso contrário: é autoflagelação.

publicado por Victor Tavares Morais às 21:41 | partilhar