O milagre socialista, irmãos

"No regime de moeda fiduciária e de reservas fraccionais que caracteriza o sistema financeiro moderno, a criação de crédito não está limitada por qualquer stock prévio de poupança. Aliás, a própria ideia da existência de uma restrição dessa natureza é ilógica: a poupança não pode anteceder a concessão de crédito porque, no momento em que um crédito é concedido, o rendimento a partir do qual se pode poupar ainda não foi inteiramente gerado."

 

Ficamos a aprender com esta "aula" em diferido do deputado João Galamba que a poupança não tem de anteceder a concessão de empréstimo, antes pelo contrário. Primeiro empresta-se - com base no quê??? - e depois então poupa-se; e isto só se formos crianças e não tivermos estudado isto, como diz o saudoso líder. Ao pé disto, apetece contratar professores Karambas para nos conduzir em ritos ancestrais, fumando cachimbos semi-nus e batendo forte no chão, para pedir chuva de euros do Céu. Ou até - porque não? - de valorosos Magalhães.

 

Louvada paciência de Manel Castelo-Branco e Carlos Guimarães Pinto.

publicado por Tiago Mendes às 22:07 | comentar | partilhar