O palhaço venezuelano

Hugo Chavez está hoje em todos os jornais portugueses (suponho que o mal seja geral) sobre uma teoria da conspiração onde acusa os Estados Unidos de terem induzido vários dirigentes sul americanos a contraírem cancro. Nada do que este senhor diz me surpreende, mas não deixa de ser sintomático que Chavez tenha sido em tempos (não sei se ainda o é) um ícone da esquerda mundial, especialmente durante o consulado de George W. Bush. Ainda há poucos anos não faltavam palavras elogiosas de vários políticos da esquerda a este palhaço. Por cá, e nem será preciso lembrar os elogios exagerados que sempre recebeu de governantes portugueses, recordo-me bem do trato favorável que Mário Soares lhe ofereceu. O antigo líder do PS dizia, com uma pinta de orgulho, que mantinha uma relação de amizade com o palhaço venezuelano e até chegou a oferecer-lhe uma hora de propaganda num lamentável programa na RTP. Com referências destas, como é que a esquerda pode ser levada a sério?

publicado por Nuno Gouveia às 17:07 | partilhar