Fim do euro (16) Obrigações a taxa fixa

Vou finalmente retomar a subsérie de posts sobre a queda dos preços dos activos. As obrigações a taxa fixa são o exemplo mais fácil para se perceber porque é que uma subida das taxas de juro leva a uma queda do seu preço.

 

Vou fazer algumas simplificações para tornar a explicação mais acessível, inicialmente ainda no contexto do euro. Vamos considerar o caso mais simples, o de uma obrigação com o prazo de um ano. Imaginemos uma obrigação com o valor nominal de 100 euros e que paga um cupão anual fixo de 5%. Isto significa que ela paga um juro de 5 euros ao fim de um ano, mais o capital de 100 euros, totalizando 105 euros.

 

Suponhamos que há um aumento súbito das taxas de juro de mercado a um ano, de 5% para 15%. Então ninguém estaria disponível para continuar a pagar 100 euros por esta obrigação. A única forma de garantir compradores é que a cotação desta obrigação descesse para 91,30€. Se fizerem as contas verificarão que se pagarmos 91,30€ agora e recebermos 105€ daqui a um ano, estaremos a receber uma taxa de juro de 15%.

 

Suponhamos agora que as taxas de juro subiam, não para 15%, mas para 20%. Nesse caso a cotação daquela obrigação teria que cair para 87,50€. Podem fazer as contas de novo e verificar que uma cotação de 87,50€ assegura a nova taxa de juro de 20%. Como verificamos deste exemplo, quanto mais subirem as taxas de juro mais cairão os preços das obrigações.

 

Façamos agora uma outra simulação. Vamos manter a subida dos juros de 5% para 15% e verificar o seu impacto na cotação de diferentes obrigações, com prazos crescentes. Como já vimos, uma obrigação a um ano veria o seu preço descer de 100€ para 91,30€. Para uma obrigação a 2 anos as perdas seriam necessariamente maiores, mais exactamente para 83,74€. A verificação destes cálculos é um pouco mais complicada e não a vou detalhar aqui.

 

Por maioria de razão, quanto maior o prazo, maiores as perdas. Uma obrigação a 5 anos veria o seu preço baixar para 56,55€ e uma obrigação a 10 anos sofreria perdas muito superiores, passando a ter uma cotação de apenas 30,30€.

 

Se considerarmos agora a saída do euro, teremos dois efeitos a diminuir fortemente as cotações das taxas de juro a taxa fixa. Em primeiro lugar, a depreciação de valor, devido à mudança de moeda. Em segundo lugar, a perda de valor associada à subida das taxas de juro, detalhada neste post.

publicado por Pedro Braz Teixeira às 14:58 | partilhar