Quem se mete com o Berardo leva

A entrevista que Joe Berardo dá ao Público (edição de hoje) é um bom exemplo do que o Estado português atura por Sócrates ter andado com o comendador ao colo. Além de chamar cobarde a Francisco José Viegas e velhinho a Vasco Graça Moura, com a elegância do costume, Berardo persiste em invocar um tratatamento legal privilegiado, sustentando-se desta vez em tão oportuna quão misteriosa correspondência com a anterior ministra Gabriela Canavilhas.

Espero sinceramente que o actual Secretário de Estado da Cultura tenha força política e mediática para arrumar um dossier que, em muitos aspectos, se assemelha às famigeradas PPP. Merece, pelo menos, o apoio de Passos Coelho por tentar. O apoio que não tiveram Isabel Pires de Lima e Mega Ferreira, no consulado Sócrates, quando questionaram a política de terra queimada de Berardo. Não sejamos piegas. As declarações ribombantes de que o PSD quer "acabar com a cultura" e o comendador quer emigrar ficariam bem no museu Berardo. Muito modernas, mas demasiado caras.  

publicado por Pedro Picoito às 15:56 | comentar | partilhar