Fim do euro (31) Cláusulas de dracma abandonadas

Já tinha chamado aqui à atenção para o facto de que o Banco Europeu de Investimentos (BEI) tinha começado a introduzir cláusulas de dracma nos empréstimos a empresas gregas, pretendendo precaver-se contra uma eventual saída da Grécia do euro.

 

Entretanto, a Comissão Europeia colocou pressão sobre o BEI para abandonar estas cláusulas, o que parece ter surtido efeito. Afinal os accionistas do BEI são os 27 Estados-Membros da UE e a missão deste banco é “concretizar os objectivos da UE, disponibilizando financiamento de longo prazo a investimentos sólidos”.

 

Mas convém sublinhar que o BEI não foi persuadido de que essas cláusulas não faziam sentido, foi antes forçado pelos seus accionistas a abandoná-las. 

publicado por Pedro Braz Teixeira às 10:07 | partilhar