20/20 Revista de Política Educativa

 

20/20 é o nome da novíssima revista bimestral portuguesa sobre políticas públicas de educação. Fundada por Francisco Vieira e Sousa e Alexandre Homem Cristo, o ESTATUTO EDITORIAL define a revista como “aberta a todos os pontos de vista” e assente nos princípios fundamentais da “liberdade, responsabilidade, equidade e participação".


A 20/20 é uma revista online e gratuita, que conta com a contribuição generosa de um conjunto diversificado de pessoas. Neste número inaugural, topamos com um FRENTE A FRENTE que opõe as opiniões de Ana Rita Bessa e de Paula Serra sobre a Revisão Curricular que terá início já no próximo ano lectivo. Adiante, um olhar VISTO DA ESCOLA, por parte de Álvaro Almeida dos Santos, sobre o tema recorrente – mas sempre adiado – da autonomia escolar. A revisão curricular e a autonomia são ainda objecto da reflexão de Roberto Carneiro numa longa ENTREVISTA, que inclui também considerações sobre o ponto da situação educativa actual face ao estudo prospectivo que ele mesmo apresentou no ano 2000, a qualidade dos professores portugueses e sua relação com as escolas superiores de educação, os benefícios e limites que decorrem do PISA e ranking das escolas nacionais, a Iniciativa Novas Oportunidades, entre outros assuntos relevantes. A 20/20 inclui ainda a OPINIÃO de Hugo Mendes sobre os motivos que poderão justificar o atraso educativo português e a aposta continuada no chamado Estado Educador, assim como a rubrica EDUCAÇÃO LÁ FORA, assinada por Inês Gregório, com uma descrição das novas políticas educativas protagonizadas pelo governo de coligação entre Conservadores e Liberais Democratas, que visam, já não o Estado Educador de que nos fala o Hugo Mendes, mas antes a inclusão efectiva da sociedade e dos seus diversos grupos no desenvolvimento da educação escolar inglesa. Por fim, Rodrigo Queiroz e Melo assina a RECENSÃO do livro que Frederick M. Hess publicou em 2010, intitulado The Same Thing Over and Over - How School Got Stuck in Yesterday’s Ideas, apostado na demonstração de que o centralismo educacional, que ainda determina o funcionamento das escolas, é anacrónico face ao pluralismo e multiculturalismo característicos das sociedades modernas, sendo hoje um tempo para a abertura a novas formas escolares, vias alternativas de acesso à profissão docente, entre outras reformas necessárias.

 
Em suma, estamos perante 36 páginas de uma revista esteticamente agradável, dedicadas às políticas educativas em Portugal e no estrangeiro, com intervenções relevantes de personalidades que se dedicam aos assuntos educativos, e que constituirá, certamente, um passo em frente na elevação do debate sobre a educação em Portugal. Pelo trabalho já realizado e pelo trabalho que ainda têm pela frente, especialmente por se tratar de uma iniciativa inteiramente graciosa, desejo ao Francisco e ao Alexandre os maiores êxitos e longa vida à 20/20, deixando-lhes uma palavra amiga de admiração e agradecimento por esta nobre iniciativa.

publicado por Nuno Lobo às 16:08 | partilhar