Passo positivo mas muito pequeno

CDS propõe o pagamento de taxas moderadoras para a realização de abortos no SNS. Está muito bem, mas não entendo por que razão não se propõe o fim da realização de abortos no SNS. É ignóbil gastar recursos dos (depauperados) contribuintes em procedimentos deste género, inclusivé quando poupanças são feitas com quem está, de facto, doente.

 

Relembro que o referendo que deu cobertura política à legalização do aborto não deu qualquer cobertura ao uso de recursos estatais para a prática de abortos.

publicado por Maria João Marques às 00:03editado por Paulo Marcelo às 10:21 | partilhar