Ainda o debate

"Não é a lógica unilateral do benefício pessoal e do máximo lucro que pode contribuir para um desenvolvimento harmonioso, para o bem da família e para a edificação de uma sociedade mais justa, porque essa lógica provoca uma concorrência exasperada, desigualdades fortíssimas, a degradação do ambiente, a corrida aos bens de consumo, os conflitos nas famílias . A mentalidade utilitarista tende a estender-se também às relações interpessoais e familiares, reduzindo-as a precárias convergências de interesses individuais e minando a solidez do tecido social”.

publicado por Pedro Pestana Bastos às 22:17 | comentar | partilhar