Nuno Crato no bom caminho?

 

É estranho sentir um certo alívio ao ler notícias sobre os maus resultados dos exames de Matemática no 4º e 9º ano. Mas depois de alguns anos em que não havia problemas em comprometer a qualidade da educação para garantir resultados, descansa-me ver que o actual Ministério prefere comprometer os resultados para garantir a qualidade.

Os exames têm várias funções: seriar alunos, chumbar os quer não cumprem mínimos, permitir comparações internacionais, avaliar os vários intervenientes no ensino (não só os alunos). Também têm uma função essencial: obrigar a estudar, pôr metas "dolorosas" para os alunos, puxar por eles... e pelos vários intervenientes no ensino.

Como sabe bem quem já ensinou, isto requer um ajuste, um equilíbrio, para que a exigência ajude, e não desanime. Talvez esse equilíbrio ainda esteja por conseguir para estes exames de matemática. Mas temos motivos para acreditar que está a ser procurado, atendendo às várias funções dos exames. Sem eleger como função principal dos exames a glorificação do governo...

publicado por Pedro Gonçalves Rodrigues às 12:39 | partilhar